Um míssil foi disparado no decorrer de inspeções a um navio militar da marinha de Taiwan na direção do território chinês. O navio estava atracado na costa da ilha de Penghu, entre Taiwan e China. As investigações preliminares apontam para falha humana, sublinhando que os operadores falharam nos procedimentos a adotar nos casos de perícias a artilharia de guerra.  

“A nossa investigação inicial apurou que a operação não foi feita de acordo com os procedimentos normais”, disse o vice-almirante de Taiwan, Mei Chiashu, aos repórteres.

O almirante acrescentou que a investigação ainda está a decorrer e que foi enviado um helicóptero e outros navios para procurar o míssil. O mesmo almirante também sublinhou que não houve feridos.

O incidente coincide com o 95º aniversário da fundação do Partido Comunista Chinês, em Pequim.  

Tsai Ing-wen, Presidente de Taiwan eleita em janeiro

 

As relações entre Taipé e Pequim deterioraram-se desde a eleição em janeiro da Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, do Partido Democrático Progressista, e que é China-cética. A China ainda insiste que Taiwan é parte do seu território, mesmo que os dois lados se tenham dividido depois da guerra civil de 1949.

Ao mesmo tempo que Taiwan vive com a ameaça permanente do “uso da força” para a reunificação, o Presidente chinês, Xi Jinping, fez um discurso onde apelou ao desenvolvimento pacífico das relações entre Pequim e Taipé.