A primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, disse na segunda-feira que Hillary Clinton é a única candidata à Casa Branca qualificada para ser Presidente dos Estados Unidos.

É a única pessoa que eu acredito estar verdadeiramente qualificada para ser Presidente dos Estados Unidos", disse Michelle Obama, mulher do atual Presidente, Barack Obama, num discurso no primeiro dia da convenção nacional do Partido Democrata norte-americano, que vai nomear oficialmente Clinton candidata à Casa Branca nas eleições de novembro deste ano.

"Nestas eleições, eu estou com ela", vincou Michelle Obama, num discurso muito aplaudido.

Por causa de Hillary, as minhas filhas e todos os nossos filhos e filhas dão agora por garantido que uma mulher pode ser Presidente dos Estados Unidos", sublinhou.

Michelle Obama defendeu que os Estados Unidos precisam de um líder guiado "todos os dias pelo amor, pela esperança e pelos grandes sonhos impossíveis" que todos os norte-americanos têm para os seus filhos.

De agora a novembro (...) temos de derramar a última gota da nossa paixão e da nossa força por este país para eleger Hilllary Clinton", pediu, referindo-se, ainda, à candidata como uma pessoa competente, "constante", "ponderada" e "bem informada".

Barack Obama deverá falar na quarta-feira na convenção democrata, que arrancou na segunda-feira, em Filadélfia.

No início dos trabalhos, os líderes do partido pediram desculpa ao senador Bernie Sanders, adversário de Hillary Clinton nas primárias, por emails "indesculpáveis" destinados a minar a sua corrida à Casa Branca.

Na resposta, Sanders apelou à eleição da rival, que "vai ser uma excelente Presidente".

Considerando as suas ideias e liderança", Clinton é uma opção melhor do que Donald Trump e "tem de ser a próxima Presidente dos Estados Unidos", afirmou Sanders, que se sente "orgulhoso" de estar ao lado de Hillary.

"Precisamos de uma liderança que nos una e nos torne mais fortes, não de uma liderança que insulta os latinos, os mexicanos, os muçulmanos, as mulheres, os afroamericanos, os veteranos e os doentes para nos dividir. Por isso, Clinton deve ser Presidente dos Estados Unidos", vincou o senador, numa intervenção no primeiro dia da convenção nacional democrata.