As autoridades nigerianas não conseguiram confirmar, para já, se as raparigas de uma escola de Chibok, raptadas há mais de um ano pelo grupo, estão entre as mulheres libertadas. O anúncio foi feito através da rede social Twitter.

O porta-voz do Exército, Chris Olukolade, assegurou que as vítimas estão a ser submetidas a um processo de identificação e que mais pormenores serão divulgados brevemente.