Sete pessoas morreram e outras tantas ficaram feridas num atentado suicida cometido hoje em Aden, no sul do Iémen, considerada a capital provisória do poder reconhecido pela comunidade internacional, revelaram fontes médicas e da área da segurança.

O atentado visou um posto de controlo da polícia não muito distante do local onde, na quinta-feira, foi cometido um outro ataque suicida, esse na entrada do Palácio Al-Maachiq, onde reside o presidente iemenita, Abd Rabbo Mansour Hadi, no bairro de Crater, acrescentaram as mesmas fontes.

Ainda de acordo com fontes da segurança, um suicida num carro fez explodir a viatura contra o posto de controlo da polícia em Aqaba, a cerca de um quilómetro do local do ataque, já reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, que fez pelo menos oito mortos e 17 feridos na quinta-feira e que teria como alvo o governador de Aden, o general Aidarous Zoubeïdi, que não se encontrava no local.