Sobrelotação, uso excessivo da força e falta de serviços básicos nas prisões de Cuba fomentam o «incumprimento sistemático» dos direitos humanos dos reclusos, que chegam a ser submetidos a «torturas», denunciaram ONG à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

As denúncias foram feitas durante uma audiência da CIDH, onde não esteve presente nenhum representante do Governo cubano por não reconhecer a competência da comissão, já que esta faz parte da Organização de Estados Americanos, a que Cuba recusa juntar-se.

Barbara Estrabao e Laritza Diversent, do Centro de Informação Legal «Cubalex» afirmaram que este ano seis reclusos cometeram suicídio devido às más condições das prisões e às violações sistemáticas dos direitos humanos.