As autoridades austríacas informaram, nesta sexta-feira, ter recuperado os corpos de 71 migrantes, que foram descobertos, na véspera, já em decomposição, no interior de um camião abandonado numa autoestrada do país.

Tratam-se de 59 homens, oito mulheres e quatro crianças, e entre as vítimas encontravam-se refugiados sírios, adianta a agência Reuters, citando a polícia.

O número, hoje confirmado pelo porta-voz do Ministério do Interior, Alexander Marakovits, supera a estimativa inicial, que apontava para entre 20 e 50 cadáveres no interior do veículo.

Os corpos foram encontrados num camião abandonado na autoestrada A4, entre o lago Neusiedl e a localidade de Pandorf, no estado federado de Burgenland, na fronteira com a Hungria.

As polícias austríaca e húngara lançaram uma operação conjunta para encontrar o motorista do veículo pesado, estacionado durante várias horas na berma da autoestrada, e demais suspeitos envolvidos.

O Ministério austríaco do Interior confirma a detenção de pelo menos um suspeito, no entanto a polícia húngara anunciou, através de comunicado, que deteve três cidadãos búlgaros e um afegão. Foram também realizadas buscas e questionadas cerca de 20 testemunhas, segundo ainda as autoridades da Hungria. 

O camião frigorífico, de 7,5 toneladas, tem matrícula húngara e símbolos de uma empresa avícola eslovaca.

As vítimas terão morrido asfixiadas, quando viajavam de forma ilegal, perto das fronteiras com a Eslováquia e a Hungria.

Dezenas de milhares de refugiados das guerras no Médio Oriente, sobretudo sírios e iraquianos, além de afegãos, cruzaram os Balcãs nas últimas semanas tentando chegar à Europa Ocidental.

A Hungria, que tem fronteira com a Sérvia, é o primeiro país da zona Schengen, de livre circulação comunitária, a partir do qual os refugiados tentam chegar a outros países, sobretudo Alemanha, Áustria e Suécia.