Carlo Cottarelli foi esta segunda-feira nomeado primeiro-ministro interino de Itália, após a renúncia de Giuseppe Conte. À saída de uma reunião com o presidente italiano Sergio Mattarella, o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que vai formar Governo "muito rapidamente" para conduzir o país até à realização de novas eleições, que deverão ocorrer no outono ou no início do próximo ano, refere a agência Reuters.

Vou apresentar-me ao Parlamento com um programa que - se ganhar o apoio do Parlamento - incluirá a aprovação do Orçamento para 2019. O Parlamento será depois dissolvido com a realização de eleições no início de 2019 ", disse Cottarelli pouco depois de ser nomeado pelo presidente italiano. "Na ausência de confiança (do Parlamento), o Governo renunciará imediatamente e a sua principal função será a gestão dos assuntos correntes até que as eleições sejam realizadas depois do mês de agosto ", acrescentou.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, convocou hoje Carlo Cottarelli, de 64 anos, para o encarregar de formar um Governo tecnocrata que “conduza os assuntos urgentes do país” até à realização de novas eleições. O encontro em Roma começou às 11:30 (09:30 em Lisboa).

O presidente Mattarella recebeu o doutor Cottarelli e pediu-lhe que formasse um Governo", anunciou aos jornalistas o secretário-geral da presidência, Ugo Zampetti, à saída de um encontro entre os dois homens.

A decisão de Mattarella de reunir-se com Carlo Cottarelli acontece um dia depois de o presidente italiano ter recusado assinar a lista de ministros do governo de coligação entre a Liga Norte e o Movimento 5 Estrelas.

Da coligação faz parte Paolo Savona, 81 anos, eurocético e crítico da moeda única, que tinha sido proposto para o cargo de ministro da Economia.

Carlo Cotarelli é atualmente diretor do Observatório das Contas Públicas da Universidade Católica de Milão e foi diretor do Departamento de Assuntos Fiscais do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em 2013, o então chefe do governo, Enrico Letta, nomeou Cotarelli comissária para a implementação de um plano de redução dos gastos públicos, cargo que manteve até à tomada de posse de Matteo Renzi como primeiro-ministro.

Cottarelli é um dos economistas mais críticos das propostas económicas do programa de governo acordado entre a Liga Norte e o Movimento 5 Estrelas.