Um beijo apaixonado num anúncio da Coca-Cola acendeu a polémica sobre a moralidade no Quénia, depois de as autoridades do país optarem por censurar os anúncios com preservativos, álcool ou com qualquer insinuação sexual.

Diversos consumidores reclamaram que o beijo não era adequado para as famílias e essa cena acabou por ser eliminada do anúncio.

Estamos comprometidos a fazer publicidade de acordo com regras locais e os valores dos consumidores", justificou um porta-voz da marca em África ao The Telegraph.

O regulador queniano, o Kenya Film Classification Board (KFCB), alegou que a cena era ofensiva e violava os valores comerciais.

A cena que gerou a polémica dura apenas três segundos e mostra um beijo entre dois estranhos. Confira o anúncio:

Televisão, rádio, imprensa, painéis publicitários ou internet, nada escapa à nova normativa sobre a publicidade produzida pela KFCB, que define os novos ajustes dos anúncios aos valores nacionais.

Os anúncios não devem minar a importância da família como unidade básica da sociedade”, sublinhou o diretor-geral do KFCB, Ezekiel Mutua, ao anunciar a nova e polémica regulação, que entrará em vigor em julho próximo.