A norte-americana Amanda Knox e o ex-namorado italiano Raffaele Sollecito foram esta sexta-feira absolvidos pelo Supremo Tribunal de Itália do crime de homicídio da estudante britânica Meredith Kercher em 2007, anunciaram os juízes.

Os juízes da mais alta instância judicial italiana consideraram que os ex-namorados não cometeram o crime.

Em janeiro de 2014, o Tribunal de Recurso de Florença condenou Amanda Knox a 28 anos e seis meses de prisão e Raffaele Sollecito a 25 anos de prisão.

Amanda Knox já reagiu à decisão e afirmou estar «extremamente aliviada». «Estou extremamente aliviada e grata pela decisão do Supremo Tribunal italiano», afirmou em comunicado.

«Saber-me inocente deu-me força nas horas mais sombrias deste teste», disse, agradecendo à família, amigos e desconhecidos o «apoio inestimável».

Já a mãe da estudante britânica assassinada afirmou estar «surpresa e muito chocada» com a decisão do Supremo Tribunal de Itália de absolver a norte-americana Amanda Knox e o ex-namorado do crime de homicídio.

Arline Kercher disse que a decisão do Supremo Tribunal italiano foi «estranha», dado que a acusação de assassínio de Meredith Kercher tinha sido confirmada por dois tribunais.