A unidade de elite da polícia francesa deteve, esta terça-feira, cinco pessoas na localidade de Lunel, no sudeste do país, suspeitas de envolvimento numa rede de recrutamento de jihadistas para combater na Síria.

A versão online do jornal regional «Midi Libre» noticia, esta terça-feira, que a operação teve início às 06:30 locais (menos uma hora em Lisboa), no centro de Lunel, a cerca de 20 quilómetros de Montpellier. Cordões policiais isolaram vários bairros na localidade. 
 
Cerca de 20 jovens oriundos de Lunel, localidade de 27 mil habitantes, viajaram para a Síria nos últimos meses para combaterem nas fileiras dos jihadistas. Seis desses jovens, com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, morreram naquele país árabe em outubro.

A vítima mais recente foi um homem, na casa dos 20 anos, que partiu no verão de 2014, com a mulher, para a Síria, mas cuja morte só foi do conhecimento da família pouco antes do Ano Novo.

A França tem sob vigilância cerca de 1.300 pessoas pela presumível ligação a redes de jihadistas na Síria e no Iraque, um número que aumentou 130% no período de um ano.