Onze homossexuais foram condenados a penas que vão dos três aos 12 anos de cadeia.

Um tribunal egípcio considerou-os culpados de conduta imprópria e “incitamento à libertinagem", segundo noticia a agência AFP esta terça-feira.  

Os homens foram detidos em setembro do ano passado, num apartamento dos subúrbios do Cairo.

Teoricamente, a lei egípcia não condena a homossexualidade, mas usa o crime de “libertinagem” para, na prática, penalizar o comportamento gay. Esta estratégia é, por seu turno, condenada pelas associações de defesa dos Direitos Humanos e de defesa dos direitos dos homossexuais.