Um barco com cerca de 150 pessoas a bordo, na sua maioria turistas, naufragou no lago El Penol, em Guatapé, um local turístico no noroeste da Colômbia, a cerca de 80 quilómetros da cidade de Medellin. Pelo menos seis pessoas morreram e 16 estão desaparecidas, segundo o último balanço oficial.

De acordo com os oficiais colombianos, citados pela BBC, 133 pessoas foram resgatadas com vida.

Antes, o presidente do país, Juan Manuel Santos, tinha confirmado que havia seis mortos. 

Até agora, tivemos a informação de que seis pessoas morreram, três estão no hospital e três foram resgatadas por mergulhadores", afirmou o presidente, que se deslocou para o local do acidente.

Santos comentou que alguns dos desaparecidos podiam estar com pessoas que os ajudaram no momento do naufrágio.

Antes das declarações do chefe de Estado colombiano, o diretor do hospital de Guatapé, Eduardo Rivera, anunciou a morte de três pessoas que tinham sido levadas para aquela unidade de saúde.

Não são conhecidas as causas do naufrágio, nem a nacionalidade dos turistas.

Barco de quatro andares

O naufrágio ocorreu pouco depois das 12:00 (mais seis horas, em Lisboa). O barco que naufragou chamava-se "Almirante", tinha quatro andares.

Um vídeo publicado na internet e divulgado por vários órgãos de comunicação da América do Sul mostra o momento do naufrágio. Nas imagens, percebe-se que várias lanchas e embarcações que estavam em redor auxiliaram no resgate dos passageiros, enquanto o barco submergia. 

Força aérea envolvida

Logo após o naufrágio, a Força Aérea colombiana destacou um helicóptero para o local, com vista a resgatar os naufragos. 

Um helicóptero UH-60 ANGEL da Força Aérea vai a caminho de Guatapé (departamento de Antioquia) para participar nas operações de socorro após o naufrágio de uma embarcação com 150 pessoas a bordo", referiu a Força Aérea num comunicado, citado pela agência noticiosa France Press.

Através do Twitter, a Força Aérea colombiana comunicou estar em plena operação de resgate.

As nossas aeronaves e as suas equipas estão a postos para retirar as pessoas que estejam em estado grave e que precisem de cuidados imediatos", sublinhou a Força Aérea colombiana, citada pela France Press.

O autarca da cidade de Medellin anunciou entretanto ter enviado uma equipa de socorro com bombeiros e cinco mergulhadores.