O exército do Burkina Faso conseguiu ocupar quatro importantes pastas no Governo de transição, pelo que mantém o seu poder apesar da nomeação de um líder civil como presidente interino do país, segundo a Lusa.
 
O tenente-coronel e primeiro-ministro, Isaac Zida, vai ocupar a pasta da Defesa, enquanto outros altos cargos do exército ficarão à frente dos ministérios de Minério e Energia, Administração Territorial e Segurança e Desporto, segundo um decreto anunciado, esta noite, pelo Presidente Michel Kafando.
 
Assim, o exército, que proclamou Zida como chefe de Estado após a demissão do anterior Blaise Compaoré, no início do mês, conseguiu manter importantes cargos de poder num Governo de transição que, tanto a oposição como a comunidade internacional, exigiram desde o início que fosse de cariz civil.