Um responsável governamental da Guiné-Conacri admitiu hoje que o recipiente térmico contendo uma amostra de sangue infetada com o mortal vírus Ébola, roubado no caminho para um laboratório, dificilmente será recuperado.

Um bando de ladrões assaltou um táxi na semana passada, perto da cidade de Kissidougou, que transportava a amostra do município central de Kankan para Gueckedou, no sul do país, a cerca de 265 quilómetros de distância.

«Estamos certos de que não conseguiremos encontrar esse recipiente térmico. Com a atenção da comunicação social em torno do caso, temos a certeza de que os bandidos já se livraram dele», disse Fode Tass Sylla, porta-voz da unidade governamental de resposta ao Ébola.