“O olho do furacão já está em terra firma em Emiliano Zapata”, no Estado de Jalisco, perto do principal porto de Manzanillo, disse o diretor da Comissão Nacional da Água, Roberto Ramirez.

Segundo o serviço de meteorologia nacional, o centro do furacão, com nove quilómetros de diâmetro, chegou a terra cerca das 18:00 locais (00:00 em Lisboa). O furacão, de categoria 5 na Escala de Saffir/Simpson, é considerado "extremamente perigoso", com ventos de 350 quilómetros por hora (km/h) e rajadas de 380 km/h.

 

O Governo do México declarou a situação de "emergência extraordinária" para vários municípios da costa do Pacífico por causa da aproximação do furacão Patrícia, que alcançou a categoria máxima e é "potencialmente catastrófico". É um dos piores de sempre de que há registo, o maior no hemisfério ocidental. As autoridades procederam já à evacuação de algumas zonas. 

De acordo com o weather.com, o furacão Patrícia ganhou velocidade na quinta-feira à noite, tornando-se o furacão mais forte alguma vez registado no Oceano Pacífico. Segundo a AP, a tempestade atingiu a categoria 5, o nível máximo para categorizar a força de um furacão. 

O astronauta Scott Kelly tem publicado, na conta do Twitter, várias imagens do furacão visto do espaço:

O Governo norte-americano disponibilizou já ajuda ao México para lidar com os efeitos do furacão “Patricia” que considerou como “épico em tamanho e intensidade”.

“Os nossos pensamentos estão com o povo mexicano, enquanto se prepara para a chegada do furacão Patricia. Os peritos em desastres da USAid (agência para o desenvolvimento norte-americana) estão no terreno e preparados para ajudar”, afirmou o Presidente dos Estados, Barack Obama, no Twitter.

O porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, disponibilizou “qualquer assistência” que o México possa necessitar, depois da passagem do furacão que promete ser “épico em termos de tamanho e intensidade”.