Pelo menos 717 pessoas morreram e 863 ficaram feridas numa fuga de peregrinos esta quinta-feira no vale de Mina, junto a Meca, na Arábia Saudita, avançam os serviços sauditas da defesa civil. 

No Twitter da Defesa Civil, o último post aumenta o número de feridos. Quanto ao número de vítimas mortais não é feita uma atualização de vítimas. "Número de feridos subiu para 863", lê-se no tweet.
 

As autoridades não precisaram, no entanto, o que causou a fuga desordenada dos peregrinos.
 
De acordo com a Defesa Civil, estão a decorrer as operações de socorro e seis das suas equipas estão no terreno a prestar os primeiros cuidados aos feridos e a direcionar o fluxo de peregrinos para “rotas alternativas”.

Na terça-feira centenas de milhar de muçulmanos iniciaram a deslocação para o vale de Mina, em Meca, para a peregrinação que dura seis dias, no maior encontro anual muçulmano do mundo.

Este ano, a peregrinação para a cidade santa de Meca é marcada pela tragédia de há 10 dias, após um acidente com uma grua, que caiu no interior da grande mesquita de Meca e que provocou a morte a 107 pessoas e ferimentos a 238.

Quase dois milhões de pessoas são esperadas na peregrinação deste ano, enquanto ainda decorre a guerra da Arábia Saudita no Iémen e a violência jihadista aumenta em alguns países muçulmanos.

A peregrinação está entre os cinco pilares do islamismo e todos os muçulmanos deverão ser capazes de a realizar pelo menos uma vez na vida.