O antigo líder dos sérvios da Bósnia, Radovan Karadzic, foi condenado, esta quinta-feira, a 40 anos de prisão pelo massacre em Srebrenica, numa decisão histórica do Tribunal Penal Internacional (TPI) para a ex-Jugoslávia .

O primeiro presidente da Republika Sprska foi considerado culpado de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio pelo TPI para a ex-Jugoslávia, em Haia.

Aos 70 anos, o ex-governante, acusado de 11 crimes, foi sentenciado a prisão efetiva por dez, incluindo o crime de genocídio em Srebrenica onde mais de oito mil muçulmanos bósnios foram massacrados, em 1995. Entre os crimes de que foi considerado culpado fazem ainda parte a tomada de reféns, deportações, disseminação do terror entre civis, assassinatos e atos desumanos. Karadzic foi ainda absolvido da acusação de genocídio noutras oito localidades bósnias.

Radovan Karadzic, o tribunal condena-vos a 40 anos de detenção”, afirmou o juiz Gon Kwon, citado pela Lusa, após ter rejeitado uma das duas acusações de genocídio, em sete municipalidades da Bósnia.

Como ex-Presidente da República Srpska, Karadzic foi o mais alto responsável a ser condenado desde a criação do TPI para a ex-Jugoslávia, em 1993. Karadzic. 

O alto funcionário das Nações Unidas para os direitos humanos, Zeid Ra'ad Al-Hussein, saudou o veredicto contra o líder servo-bósnio considerando que a decisão do Tribunal mostrou que também os poderosos "deve saber que não vão escapar à justiça", avança a Reuters.

Zeid Ra'ad Al-Hussein, em comunicado, emitido depois de ter sido conhecida o veredicto do Tribunal, disse que o julgamento “deve acalmar os líderes políticos que procuram usar o caso como bode expiatório para explorar sentimentos nacionalistas e minorias".

Radovan Karadiz foi o primeiro Presidente da República da Sérvia e governou entre 1992 e 1996 e fundador do Partido Democrático Sérvio (SDS) da Bósnia. O ex-líder estudou psiquiatria, teve formação em medicina e poesia. Karadzic foi detido em Belgrado em 2008 depois de ter estado cerca de 13 anos fugido às autoridades.