A imprensa venezuelana destacou este domingo a detenção do ex-primeiro ministro português, José Sócrates, vincando, no entanto, que «é um líder perseguido» e que é a primeira vez que ocorre uma «chocante detenção» de «um antigo chefe de Governo em Portugal».

«José Sócrates é um líder perseguido pela sombra da dúvida, o seu nome também circulou no escândalo 'Face Oculta' que envolveu 36 acusados por uma rede de tráfico de influências, fraude, corrupção e branqueamento de dinheiro, entre eles Armando Vara, amigo de Sócrates e ex-ministro do Governo de António Guterres (1995-2002)», diz o diário El Universal.


Segundo jornal «o dirigente socialista de 57 anos, tem-se visto questionado» noutros processos, entre eles pela «duvidosa obtenção do seu título de engenheiro numa universidade privada» e «pelo caso imobiliário Freeport (…) iniciado por uma denúncia anónima em 2004».

«Investigou-se, concretamente, o papel de Sócrates na atribuição de licenças de construção deste centro comercial numa área próxima a um espaço protegido ao estuário do Tejo. Depois de anos de investigação o assunto foi arquivado sem nem sequer o dirigente socialista comparecer perante a Justiça».


O jornal diz que «a oposição e a imprensa portuguesa especularam» em relação à obtenção do título de engenheiro porque um dos seus professores era militante socialista e precisa que também houve escutas telefónicas por alegadas compensações ilícitas a um parque tecnológico do ex-futebolista Luís Figo a troco de apoio na campanha eleitoral de 2009.

«No entanto todos os acusados por este processo acabaram por ser absolvidos em 2013. Outro caso, com Sócrates pelo meio, foi o da entrada da operadora Portugal Telecom na Média Capital, filial de Prisa e dona da TVI (…) parte da imprensa associou-o com o caso Monte Branco, uma mega-investigação sobre fraude fiscal e branqueamento de capitais na qual está envolvido Ricardo Salgado, antigo líder do extinto Banco Espírito Santo», afirma o mesmo jornal.

O diário El Nacional destaca que «detêm o ex-primeiro ministro português José Sócrates por causa de fraude», sublinhando que o político luso «visitou o ex-Presidente Hugo Chávez em 2010» e que esteve no cargo entre 2005 e 2011.

Segundo o Notitarde, «Sócrates, nascido em 1957, é considerado um dos 'barões' do Partido Socialista português» e em 2005 «ganhou as eleições com maioria absoluta».

Por outro lado o diário El Clarín destaca que o político português «e outras três pessoas foram detidas numa investigação por suspeitas de fraude fiscal, corrupção e branqueamento de dinheiro».