A Organização para a Libertação da Palestina e a Autoridade Palestiniana foram condenadas, esta segunda-feira, nos Estados Unidos, a pagar mais de 218 milhões de dólares (cerca de 192 milhões de euros) pelos ataques ocorridos em Israel há mais de 10 anos.

 

Segundo o júri do tribunal de Manhattan, as organizações foram condenadas por terem fornecido material aos terroristas das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa e do Hamas.

 

Os seis ataques, entre tiroteios e bombardeamentos, realizados entre 2002 e 2004, fizeram um total de 33 mortos e mais de 450 feridos. 

«Agora sabem que há um preço a pagar por apoiar o terrorismo», disse um dos advogados das 10 famílias norte-americanas que avançaram para tribunal, citado pela Reuters.

 

A Organização para a Libertação da Palestina e a Autoridade Palestiniana já anunciaram que vão recorrer desta decisão.