Cerca de 70 sismos, com magnitudes entre 3 e 6,7, foram sentidos por milhares de chilenos, na segunda-feira, nas regiões de Coquimbo, Valparaíso e na zona metropolitana de Santiago.

Este foi o mais elevado número de réplicas concentradas num só dia desde a passada quarta-feira, quando o país foi atingido por um sismo de magnitude 8,4, seguido de um tsunami.

Quatro destes abalos destacaram-se pela sua magnitude e duração, causando preocupação aos habitantes, principalmente àqueles que se encontravam em edifícios elevados.

Segundo o último relatório do Gabinete Nacional de Emergência, 13 pessoas morreram devido ao sismo e posterior tsunami, 9.061 foram afetadas, enquanto 3.931 casas registaram danos menores, 1.280 ficaram com danos de elevada dimensão e, por isso, não estão habitáveis, e 656 ficaram mesmo destruídas.