O parlamento cubano decidiu prolongar a atual legislatura até abril. A medida, que tinha sido proposta pelo Conselho de Estado, foi aprovada esta quinta-feira pelo parlamento, devido à "situação excecional" que se verificou com os estragos provocados pelo furacão Irma.

Segundo o jornal local Juventud Rebelde, a atual legislatura terminaria a 24 de fevereiro, mas este prazo foi agora adiado para 19 de abril. Nessa altura, serão realizadas eleições gerais e já se sabe que Raúl Castro não será candidato.

Castro anunciou logo no início do segundo mandato, em fevereiro de 2013, que iria afastar-se do poder no final do mesmo, ou seja, em 2018. 

Raúl Castro assumiu a presidência devido aos problemas de saúde do seu irmão e líder histórico cubano, Fidel. Agora, é o vice-presidente, Miguel Díaz-Canel, que surge em melhor posição para ocupar o cargo de chefe de Estado do país.

Cuba já tinha adiado as eleições municipais, que estavam agendadas para outubro e que acabaram por só ocorrer um mês depois, em novembro.