A declaração do Papa Francisco sobre a «paternidade responsável» tem corrido o mundo, mas há quem não concorde com o comentário.

A Associação Criação de Coelho na Alemanha veio a público revelar que os coelhos não têm um apetite sexual desenfreado, como é frequentemente afirmado, e que por isso o Papa devia ter tido mais atenção quando afirmou que os católicos não deviam «procriar como coelhos».

«Ele devia pensar seriamente antes de usar esta expressões e autorizar as pessoas a usarem métodos contracetivos», afirmou Erwin Leowsky, presidente da associação ao «The Telegraph».
 
Segundo Leowsku, a reputação de que os coelhos têm um apetite sexual desenfreado aplica-se principalmente aos que vivem em estado selvagem, e não tanto ao que vivem em cativeiro.

O líder da Igreja Católica, no voo de regresso ao Vaticano depois da sua visita às Filipinas, referiu que partilha da doutrina da Igreja contra a contraceção artificial, mas isso não quer dizer que «os cristãos devam ter um filho atrás do outro».