A juíza portuguesa Teresa Maria da Silva Bravo foi eleita na quarta-feira para o tribunal de disputas das Nações Unidas, de acordo com o site da Rádio ONU.

Além da portuguesa, a assembleia-geral escolheu mais dois novos juízes, dos Estados Unidos e da Malásia.

Este tribunal de primeira instância do novo sistema de administração da justiça, que julga casos de contencioso administrativo, foi criado pela assembleia-geral da ONU e começou a funcionar a 01 de julho de 2009.

Os juizes - três a tempo inteiro, dois a tempo parcial e três nomeados pela assembleia-geral para cada processo - avaliam queixas apresentadas por funcionários atuais ou antigos contra uma decisão administrativa que consideram errada relativamente às condições contratuais.

As decisões são vinculativas, mas funcionários e a administração pode contestar uma decisão do tribunal de disputas junto do tribunal de apelação da ONU.

A assembleia-geral elegeu também quatro juízes para o tribunal de apelação, incluindo a brasileira Martha Halfedl Furtado de Mendonça Schmidt. Os restantes são da África do Sul, Alemanha e Grécia.