«Alguns documentos estão relacionados com a organização dos soldados no 'Dia D', outros incluem um convite para irem assistir a um espetáculo musical. Mas talvez os de maior interesse sejam os documentos que se referem aos desembarques do 'Dia D'».

O proprietário do hotel, Chris Wilson, explica que «os documentos dão indicações bastante detalhadas e específicas sobre como as tropas deveriam seguir no terreno» e acrescenta:

«Já tínhamos encontrado munições gastas debaixo do soalho, mas nunca pensamos encontrar esta quantidade de documentos, que liga o hotel à própria história»

O hotel ardeu na década de 70, mas por sorte os documentos sobreviveram e, apesar de sujos e em mau estado, continuam legíveis.

«Eles estão numa condição delicada e voltar a compô-los é um processo que terá de ser feito com muito cuidado. Depois disso penso colocá-los em exposição», afirma Chris Wlson. 

«The Balmer Lawn Hotel» foi construído em 1800, como uma casa privada e pavilhão de caça. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi usado como uma escola militar do exército e também como um hospital de campo, para onde os soldados feridos eram transportados em carros de bagagem da estação de Brockenhurst. Algumas das ordens para a invasão do «Dia D» foram também emitidas do hotel.

Algumas pessoas famosas também visitaram o hotel durante as duas guerras incluindo o rei George V, Winston Churchill e o general Eisenhower.