A influente Liga dos Jovens da ZANU-PF pediu hoje a Robert Mugabe que se demita do cargo de Presidente e exigiu a “expulsão” de Grace Mugabe do partido no poder no Zimbabué desde a independência, em 1980.

“Exigimos a expulsão para sempre da senhora (Grace) Mugabe da ZANU-PF e que o Presidente Mugabe que se demita do cargo de Presidente e de primeiro secretário do partido e também da Presidência da República”, indicou a Liga num comunicado, no rescaldo das grandes manifestações de sábado contra o chefe de Estado.

Segundo a líder da Liga dos Jovens da União Nacional Africana do Zimbabué – Frente Patriótica (ZANU-PF), Yeukai Simbanegavi, “chegou a hora de Mugabe descansar” com o estatuto de “decano dos estadistas”.

Simbanegavi, por outro lado, elogiou o exército zimbabueano pela forma como liderou a operação contra “os criminosos” ligados ao regime de Robert Mugabe que, acusam, são liderados por Grace.

“É uma pena que o Presidente tenha permitido a Grace usurpar-lhe a autoridade executiva, destruindo tanto o partido como o Governo”, acrescentou a líder da juventude partidária.

Simbanegavi adiantou ainda que outra das reivindicações da Liga dos Jovens é a reintegração de Emmerson Mnangawa como vice-Presidente do Zimbabué.

Mnangawa foi exonerado por Mugabe, aparentemente numa jogada política delineada por Grace Mugabe, cujas ambições políticas passam por substituir o marido nas funções de Presidente do Zimbabué.

Os apelos da juventude partidária da ZANU-PF surgiram antes de uma reunião da direção nacional do partido destinada a analisar os pedidos vindos de quase todo os quadrantes nacionais, bem como da parte da comunidade internacional, que defendem a demissão de Mugabe.

A reunião da direção nacional, por sua vez, foi antecedida por uma outra, apenas com um número reduzido de altas personalidades da ZANU-PF, encontros que decorrem na sede do partido, em Harare, onde a polícia e o exército inspecionam minuciosamente todas as entradas no parque de estacionamento do edifício.

O exército zimbabueano mantém Mugabe sob residência vigiada, após ter avançado com a operação militar, que negam tratar-se de um golpe de Estado, depois de o presidente ter exonerado o vice-Presidente do país.

Ao lado do edifício da sede do partido, um cartaz de grandes dimensões com a imagem de Mugabe foi parcialmente rasgado, provavelmente por manifestantes que percorreram no sábado a capital, Harare, para exigir a resignação do chefe de Estado, de 93 anos.