O furacão Maria voltou a subir para categoia 5 - intensidade máxima - com ventos até 260 quilómetros por hora, depois de ter perdido força durante algumas horas.

A tempestade já deixou um rasto de destruição na ilha francesa de Dominica, nas Antilhas Menores, anunciou o primeiro-ministro daquela ilha, Roosevel Skerrit. A pequena ilha tem 75 mil habitantes.

Os habitantes da Dominica “perderam tudo o que podiam ter perdido” após a passagem do furacão Maria. "Os ventos arrancaram os telhados [das habitações] de quase todas as pessoas com quem falei ou estive em contacto”, escreveu Skerrit na sua página de Facebook, lançando um apelo a “todo o tipo de ajuda”.

 

"A minha preocupação é resgatar [os cidadãos presos] e assegurar assistência médica para os feridos. Precisamos de ajuda, vamos precisar de todo o tipo de ajuda", acrescentou.

O olho do furacão Maria tocou terra na ilha de Dominica durante a madrugada, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, altura em que alcançou o nível cinco na escala.

Antes já tinham sido emitidos avisos de furacão em Porto Rico, Guadalupe, Dominica, St. Kitts, Nevis, Montserrat e Martinica.

O furacão dirige-se, justamente, para Guadalupe, Montserrat, St. Kitts e Nevis, onde os ventos e as chuvas fortes já se fazem sentir. No entanto, apenas há avisos para que sejam evitadas viagens não urgentes para Montserrat.

 

As previsões apontam para que o furacão avance em direção a Porto Rico. A tempestade deverá passar mesmo por cima da ilha principal.

O governador de Porto Rico já anunciou que o presidente norte-americano, Donald Trump, assinou a declaração de estado de emergência para Porto Rico e Ilhas Virgens dos Estados Unidos antes da passagem do furacão Maria.

A ordem autoriza o Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos, e a Agência Federal para a Gestão de Emergências (FEMA, na sigla em inglês) a coordenarem as ajudas de emergência, de acordo com um comunicado difundido pela Administração de Assuntos Federais de Porto Rico em Washington (PRFAA, na sigla em inglês).

Esta ação vai ajudar a aliviar o sofrimento e as dificuldades que a situação pode trazer à população local e fornece a assistência apropriada para adotar as medidas necessárias de emergência”, indicou a ordem assinada por Trump.