A China deportou 20 turistas do Reino Unido, Índia e África do Sul que tinham sido detidos na Mongólia Interior por supostamente terem visualizado “um vídeo de instigação ao terrorismo e ao extremismo religioso”, confirmaram as autoridades.

A imprensa oficial chinesa publica este domingo que os turistas foram libertados, sem acusação, depois de uma semana num centro de detenção, e devolvidos aos respetivos países de origem.

Segundo a polícia, os estrangeiros, numa viagem de 47 dias organizada por uma operadora turística chinesa, viram um documentário nos seus quartos de hotel e depois de alguns terem ido embora o resto “começou a ver vídeos de instigação ao terrorismo”.