Um mês após o dramático naufrágio no Mediterrâneo, a União Europeia oficializa hoje uma operação naval para travar a atividade dos traficantes que exploram a situação dos imigrantes, dispostos a tudo para chegar à Europa.

Esta missão inédita vai implicar o destacamento de navios de guerra e aviões de vigilância dos exércitos europeus ao largo da Líbia, que se tornou a mais importante plataforma de tráfico.

A missão implica um acordo com as Nações Unidas e só será verdadeiramente lançada em junho, mas será formalmente decidida hoje pelos 28 ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE), após uma reunião com os seus homólogos da Defesa.