dois ou três atacantes estariam ainda a monte. 

«Há uma possibilidade, mas não é uma certeza, (de que os atacantes) podem ter sido apoiados por dois ou três elementos e nós temos grandes operações de buscas para identificar os dois ou três terroristas que possam ter participado na operação», afirmou Habib Essid.


em declarações à AFP, 

«As autoridades tomaram todas as medidas para garantir que estas coisas não voltem a acontecer», afirmou o chefe de Estado, depois de visitar os feridos do ataque no hospital Charles-Nicolle, em Tunes.



O ministro da Saúde, Said Aidi, tinha avançado que 38 pessoas ficaram feridas no ataque, entre as quais turistas de França, Itália, Polónia, Japão e África do Sul, mas entretanto o número de feridos aumentou para 42. todos os restantes reféns foram libertados.



três polacosdois italianos

Autoria do ataque ainda não foi reivindicada

«A União Europeia está determinada a mobilizar todas os meios para dar apoio total à Tunísia na luta contra o terrorismo», declarou Mogherini, citada pela agência Reuters.












Governo espanhol condena ataque em Tunes













Não há portugueses entre as vítimas