Pelo menos oito pessoas morreram e 30 ficaram feridos, este domingo, durante um ataque suicida contra uma igreja no sudoeste do Paquistão a poucos dias do Natal, anunciou a polícia.

O ataque foi perpetrado por dois suicidas contra a igreja metodista de Quetta, capital da muito instável província do Balouchistan, no momento do serviço religioso dominical. A autoria do ataque foi reivindicada pelo Estado Islâmico através da agência Amaq.

Em comunicado difundido na rede social Telegram, o EI afirmou que o atentado foi cometido por dois “mártires” do grupo, que identificou como Tayeb al Jarasani e Yalibib al Jarasani, sobre os quais assegurou que usaram cintos explosivos, armas e bombas.

Segundo a versão do EI, um dos terroristas detonou o cinto de explosivos no meio de um grupo de “cruzados”, enquanto o outro morreu ao enfrentar as forças de segurança paquistanesas.

Cinco feridos em estado grave

O chefe da polícia provincial, Moazzam Jah, adiantou à AFP que entre os mortos encontram-se duas mulheres. Cinco dos 21 feridos estão em estado grave.

De acordo com o ministro do Interior de Balouchistan, Sarfraz Bugti, a polícia intercetou e abateu um dos bombistas antes deste entrar na igreja, mas o segundo homem-bomba conseguiu entrar no edifício, onde se fez explodir.

“A polícia atuou prontamente para impedir que os assaltantes atingissem a nave principal”, declarou Moazzam Jah.

“Deus protegeu-nos. Se os terroristas tivessem alcançado o seu propósito, mais de 400 vidas teriam sido ameaçadas”, referiu Sarfraz Bugti na rede social Twitter.

Os cristãos representam cerca de 1,6% dos 200 milhões de paquistaneses e são quotidianamente vítimas de discriminação no Paquistão, onde a maioria é muçulmana.