“Nesse sentido, conseguimos um acordo e alguns canais de comunicação. Continuaremos a divergir nos princípios e estratégias básicas que temos na Síria”.







Rússia retirou 56 civis da Síria







Moscovo nega que campanha russa na Síria procure defender Bashar al-Assad


A Rússia negou que a campanha de bombardeamentos na Síria procure defender a todo o custo o regime de Bashar al-Assad e mostrou-se disposta a cooperar com os Estados Unidos e países da região.

"Não queremos que no poder esteja o Estado Islâmico. Então, deve ser um Governo civilizado e legítimo. Isto é o que se tem de falar", afirmou o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvédev, em declarações à televisão pública.

Medvédev instou os Estados Unidos e todos os países da região, desde a Turquia à Arábia Saudita, a "abordar as questões políticas" para a solução do conflito na Síria.