Os países ricos foram lentos em reagir à epidemia do vírus Ébola, por esta ter começado em África, criticou esta quinta-feira o antigo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan.

«Estou profundamente desapontado pela resposta (…). Estou desapontado por a comunidade internacional não se mexer depressa», disse Annan a um programa de referência da BBC, o Newsnight.

«Se a crise tivesse começado em outra região, provavelmente teria sido gerida de forma muito diferente. De facto, se se vir a evolução da crise, a comunidade internacional acordou realmente quando a doença atingiu a América e a Europa», especificou.

Este diplomata ganês, que liderou a ONU durante uma década, até 2006, disse que deveria ter sido evidente que o avanço do vírus para fora de África, a partir do seu epicentro, era apenas uma questão de tempo.

O surto deste vírus já matou 4 493 das 8997 pessoas que foram registadas como tendo sido infetadas, segundo a Organização Mundial de Saúde.