Segundo este responsável, as autoridades britânicas evitaram, nos últimos doze meses, seis conspirações terroristas, mas a ameaça está a aumentar. 

"É o número mais alto de que me lembro em 32 anos de carreira e certamente o mais alto desde o 11 de Setembro", afirmou.

Por isso, o diretor dos serviços secretos britânicos defende a necessidade de novos poderes para o controlo de comunicações, já que os terroristas utilizam cada vez mais a internet para comunicar.

O Reino Unido admite que a ameaça terrorista está a aumentar, principalmente devido à situação na Síria.