Os Estados Unidos e a Turquia chegaram a acordo para treinar e equipar opositores sírios moderados na Turquia, e o documento final deverá ser concluído em breve entre Washington e Ancara, anunciou esta terça-feira a diplomacia norte-americana.

«Alcançámos um acordo de princípio para formar e equipar grupos da oposição síria», indicou a porta-voz do departamento de Estado norte-americano, Jennifer Psaki, acrescentando que Washington «conta concluir e assinar em breve o acordo com a Turquia».

A porta-voz não forneceu mais pormenores sobre o processo de formação que deverá iniciar-se em março.

Este anúncio de um acordo EUA-Turquia põe termo a meses de discussões difíceis entre os dois aliados sobre o treino de rebeldes sírios moderados para em seguida combaterem os ‘jihadistas’ do grupo Estado Islâmico (EI).

«Como já tínhamos antes anunciado, a Turquia aceitou ser um dos anfitriões regionais do programa de treino e equipamento das forças da oposição moderada sírias», recordou Psaki.

O Pentágono tinha anunciado, em meados de janeiro, o envio em breve de várias centenas de militares norte-americanos para treinar membros da oposição síria moderada que seriam depois encarregados de combater os ultrarradicais do EI.

Além da Turquia, também a Arábia Saudita e o Qatar aceitaram acolher campos de treino e fornecer-lhes também formadores.

Vários meses de negociações foram necessários para chegar a um acordo entre os diferentes países envolvidos.

A administração norte-americana espera que o treino dos primeiros sírios possa começar «no final de março«, de modo a que os primeiros formados estejam operacionais «no final do ano», segundo o Pentágono.

O objetivo dos Estados Unidos e dos seus parceiros é treinar mais de 5.000 sírios no primeiro ano.