O homem procurado pela polícia por ser suspeito de ter matado a tiro seis pessoas, esta segunda-feira, em Filadélfia (EUA), é um antigo reservista da Marinha norte-americana que combateu no Iraque e teve que abandonar o posto por stress pós-traumático, segundo ‘media’ locais.

Um grande contingente policial foi destacado para os arredores de Filadélfia, no leste dos Estados Unidos, no âmbito da operação de busca por Bradley William Stone, de 35 anos, suspeito de ter matado a tiro seis pessoas, incluindo a sua ex-mulher.

A mais recente pista sobre o seu paradeiro aponta para a floresta de Doylestown, donde fugiu um homem, que se encaixa na descrição de Stone, depois de tentar assaltar um condutor com uma navalha e de este ter aberto fogo contra ele.

Os agentes pediram aos moradores das zonas onde foram encontradas as vítimas para que não saiam das suas casas e vários distritos decidiram encerrar as escolas hoje como medida de precaução.

A investigação preliminar indica que as seis vítimas teriam qualquer relação com Stone, que também feriu um adolescente.

Segundo a polícia, Stone está armado, é perigoso e é possível que esteja vestido com algum tipo de uniforme militar e usa uma bengala.

Os primeiros disparos ocorreram cerca das 04:00 locais (09:00 em Lisboa) de segunda-feira numa casa do subúrbio de Souderton, onde a polícia encontrou o corpo de uma mulher.

Os restantes corpos foram descobertos em outros edifícios de Souderton e, inicialmente, surgiu a informação de que o presumível autor dos disparos se tinha barricado numa casa dessa localidade, nos arredores de Filadélfia.

Depois, a busca por Stone passou para Pennsburg, outro subúrbio de Filadélfia, com a mais recente pista a levar os agentes para a floresta de Doylestown.