O Estado Islâmico divulgou um novo vídeo em que faz ameaças de novos ataques a todos os países que participam de ataques a posições da organização na Síria. Um dos alvos concretos sob ameaça é Washington.
 

“Avisamos que os Estados que tomam parte na campanha que, por Deus, terão o dia que Deus quiser, tal como França. Tal como atingimos o coração da França em Paris, atacaremos a América, no seu coração, em Washington”, diz um homem não identificado, no vídeo, de acordo com a Agência Reuters.

 

“Alerto também os países europeus que estamos a caminho. Estamos a caminho com armadilhas, cintos com explosivos e armas silenciosas e vocês serão incapazes de nos travar porque estamos hoje mais fortes do que nunca”, acrescentou outro.

 


A autenticidade do vídeo não foi ainda confirmada.
 
O vídeo foi divulgado por um grupo autointitulado “Wilayah Kirkuk” (Estado de Kirkuk), uma cidade do Iraque sob controlo do Estado Islâmico. Este grupo já publicou, noutras ocasiões, dezenas de vídeos em nome do Estado Islâmico.
 
John Brennan, diretor da CIA, admitiu este domingo que são esperados mais ataques por parte do Estado Islâmico. “A agenda do Estado Islâmico é matar, pura e simplesmente”, disse num discurso no Center for Strategic and International Studies' Global Security Forum. 

O vídeo é divulgado no dia em que as autoridades francesas apontam o cidadão belga Abdelhamid Abaaoud como o cérebro por detrás dos ataques de Paris. E acontece também no dia em que as autoridades belgas montaram uma autêntica caça ao homem, com dezenas de polícias e comandos armados a fazerem buscas em casas em Molenbeek, uma vila nos arredores de Bruxelas. A operação terminou sem qualquer detido.
 
A polícia belga deteve sete suspeitos durante o fim de semana, mas cinco foram já libertados. Dois foram acusados de terrorismo

As autoridades procuram Salah Abdeslam, de 26 anos, por suspeitas de ser um dos atiradores de Paris. No alerta à população sobre este homem, as autoridades avisam que é um homem extremamente perigoso.