O número de mortos no Sri Lanka na sequência do colapso de uma montanha de lixo na sexta-feira foi hoje elevado a 20, e os residentes temem que mais vítimas estejam soterradas.

Os bombeiros deslocaram-se a Kolonnawa, no limite nordeste de Colombo, depois de uma montanha de lixo com cerca de 91 metros de altura, destabilizada durante a noite devido a chuvas torrenciais, ter pegado fogo e ter desabado sobre as habitações, adianta a AFP.

Segundo a informação inicialmente divulgada, o colapso da montanha de lixo enterrou cerca de 40 casas numa favela.

A tragédia ocorreu na noite de sexta-feira quando as pessoas estavam a comemorar o Ano Novo local.

Centenas de soldados foram mobilizados para o local do acidente, depois de o Presidente, Maithripala Sirisena, ter ordenado ao exército e à polícia que dessem apoio aos bombeiros.

Os habitantes da zona onde aconteceu o acidente denunciaram várias vezes a devastação ambiental causada pela lixeira a céu aberto, onde são descarregadas diariamente 23 milhões de toneladas de lixo e 800 toneladas de resíduos sólidos suplementares.

O primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe, disse no sábado que o governo iria remover em breve a lixeira para outra área.

Ranil Wickremesinghe disse também que as 625 pessoas cujas casas foram destruídas ou ameaçadas pelo colapso estavam a ser alojadas em escolas nas imediações.