A organização talibã Al-Qaeda tomou o controlo do maior aeroporto no sul do Iémen, esta quinta-feira, segundo a Associated Press.

Para já não há informações quanto ao registo de vítimas.

O incidente acontece alguns dias depois de um líder de topo do grupo Ibrahim al-Rubaish ter sido morto num ataque aéreo no país.

O secretário da Defesa dos Estados Unidos reconheceu na semana passada que a Al Qaeda tem avançado no terreno no Iémen. «Vimos grandes progressos no terreno», admitiu Ashton Carter.

As condições de segurança têm-se agravado nos últimos meses no Iémen.

Por um lado, as milícias houties, que já tomaram a maior cidade do país e capital, Sanaa, contestam o governo e procuram combater as forças governamentais.  A Arábia Saudita lançou uma operação militar, com vários ataques aéreos, que envolve «mais de dez países», para defender o Presidente iemenita, contestado pelos rebeldes. 

Depois, para além da crise interna,  o Iémen vê-se a braços com a presença de células terroristas ligadas à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico. Um atentado do Estado Islâmico a duas mesquitas fez mais de 100 mortos a 20 de março. 

A insegurança no país foi o motivo pelo qual os EUA decidiram retirar o seu pessoal do Iémen

Outro efeito desta instabilidade é o aumento do preço do petróleo, que por sua vez, influencia os mercados