Três homens e uma mulher foram detidos, esta quarta-feira de madrugada, em Paris, suspeitos de planearem um atentado, noticiam a TF1 e a BFMTV. Os quatro foram presos pela Direcção-Geral de Segurança Interna no 18º bairro de Paris e perto do subúrbio de Seine-Saint-Denis.

De acordo com o Le Figaro, os suspeitos são Aytac e Ercan B., dois irmãos franceses de origem turca, e também Youssef E., um islamita que já era conhecido das forças de segurança, estando em prisão domiciliária desde o mês de fevereiro. 

Youssef E., francês de 28 anos, foi condenado a cinco anos de prisão em março de 2014, depois de ter sido detido no aeroporto de Saint-Etienne com dois cúmplices e depois acusados de pretenderem viajar para a Síria para lutarem com o Estado Islâmico. Foi depois libertado da cadeia de Fresnes, no Val-de-Marne, em outubro de 2015. Youssef E. estava em prisão domiciliária desde 29 de fevereiro de 2016, ao abrigo do estado de emergência. A companheira também foi presa esta quarta-feira de manhã.

A Direcção-Geral de Segurança Interna refere que os quatro suspeitos tinham-se tornado uma ameaça séria. A investigação permitiu estabelecer que pelo menos um membro do grupo tinha por objetivo cometer um atentado na capital francesa.

Os suspeitos, diz a BFMTV, foram levados para Levallois-Perret. No local das detenções foram encontrados um cartucho não utilizado de Kalachnikov, uma pistola de alarme, um cofre e material informático que irá ser investigado e que pode proporcionar mais provas. 

Um dos quatro islamitas detidos é suspeito de preparar “ações violentas em França”, referiu o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, relativizando as informações sobre um projeto de “ataque iminente”.

Por sua vez, e interrogado após as detenções, o Presidente François Hollande apelou “à maior vigilância possível”.

O nível de ameaça permanece muito elevado”, sublinhou, ao evocar designadamente a operação antiterrorista relacionada com os atentados de Paris e desencadeada na terça-feira em Bruxelas.

Esta notícia surge no dia seguinte a uma operação antiterrorista em Bruxelas, na Bélgica, que acabou com um suspeito morto e dois ou mais em fuga. 

(Foto de arquivo)