A polícia sul-africana libertou 18 crianças retidas na sede da Igreja da Família Mancoba, uma seita que se declara contra todo o tipo de civilização e proíbe os seguidores de estudar ou trabalhar, informaram meios de comunicação locais.

As autoridades entraram à força no recinto, localizado em Nyanga, na província sul-africana de Cabo Oriental, depois do fracasso de duas horas de negociações com os líderes da seita.

"As crianças viviam na igreja. Não iam à escola e alguns não tinham certidões de nascimento. Acreditamos que não os deixavam sair", declarou o porta-voz da polícia de Cabo Oriental, Mzukisi Fatyela.

Após meses de investigação, a polícia obteve um mandado judicial para retirar as crianças, com idades entre 3 e 13 anos, que tinham sido escondidas num compartimento do recinto. Não há, no entanto, informações sobre detenções entre os membros da seita, em cujas instalações vivem mais de 200 adultos.