Um sismo com uma magnitude de 5,7 na escala de Richter foi registado esta terça-feira no nordeste do Japão, a mesma zona que horas antes foi sacudida por um abalo de 6,9.

A Agência Meteorológica do Japão indicou que o terramoto, registado às 13:46 (04:46 em Lisboa) teve o epicentro muito perto da costa da província de Iwate.

Não foi emitido um alerta de tsunami, ao contrário do que sucedeu na sequência do anterior abalo. A Agência Meteorológica do Japão levantou o alerta de tsunami anterior emitido para a prefeitura de Iwate, duas horas depois do sismo de magnitude 6,9 na escala de Richter.

O organismo desativou o alerta amarelo - para ondas de entre 20 centímetros e um metro - às 10:20 locais (01:20 em Lisboa).

A agência nipónica emitiu um alerta depois de um sismo de 6,9 na escala de Richter, ocorrido às 08:06 (23:06 de segunda-feira em Lisboa), cujo epicentro foi localizado no mar, a 210 quilómetros da costa de Iwate.

Apenas os portos de Kuji e Miyako registaram pequenos tsunamis - com 20 e 10 centímetros, respetivamente - enquanto o da localidade de Kamaishi uma onda ainda menor.

Não há relatos de vítimas ou danos significativos na sequência do sismo e do maremoto.

O Japão situa-se no chamado «Anel de Fogo», uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, pelo que é palco de terramotos com relativa frequência.

A 11 de março de 2011, um sismo de magnitude 9 na escala de Richter seguido de um devastador tsunami deixou mais de 18.000 mortos e desaparecidos e danificou a central de Fukushima, naquele que foi o pior desastre nuclear desde Chernobil (Ucrânia), em 1986.