Theresa May não gostou de ouvir Donald Trump dizer que os terroristas do metro de Londres estavam "à vista da Scotland Yard" e, na resposta a uma questão sobre o presidente dos Estados Unidos, afirmou que "especular não ajuda ninguém".

Considerações proferidas após a reunião de emergência do gabinete de crise (COBRA), que teve lugar ao início da tarde desta sexta-feira, para analisar mais um ataque terrorista na capital britânica, desta feita numa composição do metro, em Parsons Green.

Penso que especular sobre uma investigação em curso não ajuda ninguém", disse May, referindo-se a Trump.

A governante anunciou que o nível de alerta terrorista no Reino Unido vai manter-se "grave", ou seja, o segundo mais alto numa escala de cinco devido à previsibilidade de novos ataques.

O nível de ameaça continua grave. Isto significa que um ataque terrorista é altamente provável. Este nível será revisto no decorrer da investigação. As pessoas devem levar a sua vida como todos os dias, mas devem permanecer vigilantes. Quem se deslocar para Londres verá um aumento da presença policial na rede de transportes e mais segurança."

Segundo Theresa May, a polícia e os serviços secretos estão a fazer tudo o que podem para identificar os autores de um "ataque cobarde", cujo objetivo era causar "danos significativos".

De acordo com a BBC, que não citou qualquer fonte, a bomba não detonou por completo. No incêndio que se seguiu à explosão, 23 pessoas ficaram feridas, mas sem gravidade.

A Sky News está a avançar, citando fonte da investigação, que o engenho explosivo não detonou por completo e que um suspeito do ataque em Parsons Green foi já identificado pelas câmaras de videovigilância. A BBC, que não cita qualquer fonte, acrescenta que a bomba tinha um temporizador.