O Estado Islâmico reivindicou a explosão que ocorreu esta manhã, em hora de ponta, no metro de Londres, adianta a Reuters, citando a agência de propaganda do Daesh, a Amaq. Entretanto, a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que o nível de alerta de terrorismo passou de grave para crítico.

Isso quer dizer que as autoridades acreditam que um outro atentado possa estar iminente. O nível crítico é pior numa escala de cinco. O anterior significava que um ataque seria altamente provável. 

Theresa May avisou que os britânicos verão um reforço de polícias armados nas ruas nos próximos tempos. 

No ataque de hoje ninguém morreu, mas pelo menos 29 pessoas ficaram feridas, segundo o último balanço.

As autoridades estão a investigar o incidente como "terrorista" e a reivindicação da autoria por parte do grupo extremista surge 11 horas depois da explosão na estação de metro de ParsonsGreen.

Tudo se passou numa das carruagens de um comboio com capacidade para transportar 865 passageiros. "Um engenho explosivo artesanal", segundo as autoridades, uma bomba improvisada que foi detonada num balde de plástico escondido dentro de um saco de supermercado.

Ninguém foi detido até ao momento, mas centenas de agentes, incluindo dos serviços secretos, participam na investigação em busca de um ou mais suspeitos.

Veja também: O relato assustado de uma portuguesa em Londres

Além das testemunhas que estão a ser ouvidas, a polícia está a visualizar o conteúdo das câmaras de vigilância.

Inicialmente, as autoridades confirmaram apenas um incêndio de origem criminosa que teve início numa carruagem na estação de Parsons Green.

Marcelo enviou mensagem à Rainha

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou hoje uma mensagem à rainha do Reino Unido, Isabel II, a condenar o ataque no metro de Londres e a manifestar-lhe solidariedade, em nome dos portugueses.

"Quero expressar a Vossa Majestade, em meu nome e em nome do povo português, o meu repúdio por este atentado, que condeno nos termos mais veementes, bem como a minha firme convicção na força e na determinação do povo britânico em fazer face a este ataque aos valores que nos unem".

Marcelo Rebelo de Sousa transmite a Isabel II a sua "profunda solidariedade, em particular para com todos aqueles que foram afetados por este atentado", a quem deseja "rápida recuperação".