Mais de 120 membros do Clan Úsuga, principal gangue da Colômbia, foram detidos nas últimas duas semanas devido a uma “greve armada”, um bloqueio que paralisou dezenas de localidades, anunciou na quinta-feira o Presidente Juan Manuel Santos.

Desde a chamada greve armada, mais de 120 membros do Clan Úsuga, incluindo muitos dos seus líderes, foram detidos”, declarou o chefe de Estado após um conselho de segurança extraordinário organizado em Medellin, subúrbio de Antioquia, um dos mais afetados pela violência dessa “greve” convocada pelo gangue no início de abril, que se saldou em seis mortos.

O Governo encontra-se envolvido, há meses, numa ofensiva contra grupos criminosos como o referido clã, particularmente ativo na região de Uraba, na fronteira com o Panamá, que resulta da desmobilização das milícias paramilitares de extrema-direita, entre 2003 e 2006, quando Alvaro Uribe era Presidente da Colômbia.