A escritora britânica Anita Brookner, reconhecida historiadora de arte e que ganhou um prémio Booker, morreu aos 87 anos, informou esta terça-feira o diário The Times.

Brookner conquistou o galardão literário Booker em 1984 com o romance “Hotel du Lac”, um dos 25 livros que escreveu após uma destacada carreira como historiadora.

Segundo o jornal, a escritora morreu quando dormia no passado dia 10.

Nascida em Londres em 1928, Brookner escreveu vários livros sobre arte nos anos 1960 e 1970, centrando-se depois na ficção, sobretudo em temas que exploram o isolamento social através de protagonistas femininas.

“Foi uma escritora maravilhosa que tinha uma prosa lúcida e bonita. Foi um ícone do meu tempo”, assinalou a escritora Jilly Cooper, famosa no Reino Unido devido aos seus romances românticos.

Filha de polacos judeus que ajudaram refugiados a escaparem da perseguição de nazis na II Guerra Mundial, Anita Brookner foi professora de arte na Universidade de Cambridge e também deu aulas no Instituto de Arte Courtauld.

O seu primeiro romance, “A start in life”, foi publicado em 1981 e desde então escreveu quase um livro por ano. O último, “At the hairdresser’s”, saiu em 2011.

Além do romance com que ganhou o Booker, “Hotel do Lac”, foram editados em Portugal outros livros da escritora como “Desconhecidos”, “A Baía dos Anjos”, “Visitas”, “As Regras do Compromisso” e “Fraude”.

Em 1990, a rainha Isabel II atribuiu-lhe a medalha de Comandante do Império Britânico.