Uma empresa chinesa de biotecnologia anunciou que vai produzir em grande escala uma vacina contra o vírus Ébola, criada pelo exército do país, avançou esta quarta-feira a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua.

As instalações da CanSino Biotechnology, em Tianjin, cidade portuária do norte da China, deverão estar concluídas em setembro de 2018 e terão um custo de dois mil milhões de yuan (278 milhões de euros).

A vacina foi desenvolvida em dezembro de 2014 por cientistas da Academia Chinesa de Ciências Médicas Militares, recorrendo a mutações genéticas do vírus, e poderá adaptar-se ao clima tropical da África Ocidental, onde uma epidemia causou a morte de 11.000 pessoas desde o ano passado.

Se confirmada a eficácia da vacina, esta junta-se à já testada pelas empresas Merck e NewLink Genetics, que em julho registou uma taxa de eficácia de 100% na Guiné.

Também a Johnson & Johnson começou a testar uma vacina de duas doses na Serra Leoa no início deste mês.