Uma ponte sobre uma autoestrada em Génova colapsou nesta terça-feira, causando várias mortes e feridos, num balanço que está em permanente atualização. A autoestrada em causa é a A10.

A autarquia da região de Ligúria corrigiu as informações anteriormente dadas aos jornalistas, informando que, até ao início da noite desta terça-feira, estavam confirmados 26 mortos, sendo que 23 pessoas morreram no local. De acordo com este último balanço, há ainda 15 feridos, nove dos quais em estado grave.

Antes, fonte dos bombeiros tinha avançado à agência de notícias italiana ANSA a existência de 35 mortos. O próprio ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, disse aos jornalistas, na Sicília, que havia cerca de 30 mortos confirmados e outros tantos feridos -  indicação dada depois da conferência de imprensa da Proteção Civil em Roma.

De acordo com a ANSA, há pelo menos uma dezena de desaparecidos e 440 pessoas deslocadas.

Segundo o chefe da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli, a maioria das vítimas seguia na ponte.

A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas confirma que, até ao momento, não há indicação de portugueses entre as vítimas.

 

 A Proteção Civil italiana indicou que entre 30 a 35 carros estão envolvidos no incidente, bem como três camiões.

Centenas de operacionais estão no local a procurar vítimas entre os escombros debaixo de chuva intensa. A região está sob um alerta de mau tempo.

Temendo que outras partes da ponte possam cair e atingir os edifícios circundantes, as autoridades retiraram várias pessoas das suas casas.

O ministro italiano das Infraestruturas e dos Transportes, Danilo Toninelli, está a acompanhar o incidente "com grande apreensão", assumindo tratar-se de uma "imensa tragédia".

Nas redes sociais são já várias as imagens partilhadas do incidente.

 

 

 

Ponte vai ser demolida

Parte da ponte Morandi, construída nos anos 60 e que sofreu obras de melhoramento em 2016, atravessa a A10.

O vice-ministro das Infraestruturas e dos Transportes, Edoardo Rixi, que se encontra no local, disse que a ponte vai ser demolida e que é preciso encontrar os culpados do incidente.

A Ponte Morandi terá de ser demolida com sérias repercussões para o trânsito e causando problemas a vários cidadãos e empresas. (...) Uma ponte destas não cai por causa de um raio ou de uma tempestade, os culpados têm de ser encontrados", vincou o governante.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, taambém sublinhou que é preciso averiguar de forma "séria" e "severa" as causas deste incidente.

"Nenhum autoridade pode fugir às suas responsabilidades. As famílias das famílias assim o exigem, as comunidades afetadas assim o exigem, a consciência da nossa sociedade assim o exige", frisou o presidente em comunicado, 

 

Marcelo expressa condolências

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já expressou condolências pelas mortes na sequência da queda de uma ponte em Génova, ao chefe de Estado italiano, Sergio Mattarella, com quem falou ao telefone.

Neste momento difícil, quero enviar sentidas condolências aos familiares das vítimas e também expressar a vossa excelência, em meu nome e no do povo português, toda a solidariedade para com o povo italiano e, em particular, para com todos os que foram afetados, a quem envio os votos de rápida recuperação”, lê-se na mensagem enviada pelo chefe de Estado português e que foi divulgada no ‘site’ da Presidência da República.