O parlamento espanhol chumbou em Madrid a moção de censura ao Governo de direita de Mariano Rajoy apresentada pela coligação de extrema-esquerda Unidos Podemos por 170 votos contra, 82 a favor e 97 abstenções.

A moção não conseguiu assim recolher os 176 votos necessários, 50% mais um da assembleia, tendo apenas sito apoiada pelos deputados do Unidos Podemos e por pequenos partidos independentistas da Catalunha e do País Basco.

O Partido Popular, o maior no parlamento e base de apoio do Governo, e o Cidadãos (centro) votaram contra e o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) absteve-se.