O Conselho de Segurança das Nações Unidas mostra-se disponível para adotar "as medidas necessárias" para ser superada a crise política na Guiné-Bissau, apelando ao mesmo tempo à não intervenção militar.

O Conselho de Segurnaça da ONU expressa, assim, "a sua disponibilidade para tomar as medidas necessárias para a atual situação ser superada", afirmou o egípcio Amr Aboulatta, que este mês preside ao organismo, em nome dos 15 membros que o integram.

Os membros do conselho "reafirmam a importância da não-interferência das forças de defesa e de segurança na situação política", acrescentou, citado pela Lusa.