A defesa de Juan Carlos recorreu para o Supremo Tribunal no caso do pedido de reconhecimento de paternidade, apresentado contra o monarca espanhol pela belga Ingrid Sartieau.

Segundo fontes jurídicas citadas pela agência EFE, a mulher também recorreu da decisão da Sala Civil do Supremo de admitir o seu pedido, argumentando que não foi dada resposta à sua requisição da prova de ADN.

Uma vez apresentados os dois recursos, segue-se um procedimento de avaliação que se prolonga, pelo menos, por 20 dias.